quarta-feira, 17 de junho de 2009

Reputação é aquilo que os outros pensam de você. Caráter é aquilo que você é…

Se reputação é isso mesmo, eu tenho mais é que zelar por ela. Eu não sou do tipo da pessoa que não se importa com a opinião alheia, e que vive loucamente da maneira que mais me agrada, não mesmo. Eu me importo muito com a impressão que causo nas pessoas, com a ideia que as pessoas tem de mim.

  Eu tenho um nome e sobrenome, quando dão dou valor á isso, de certa forma, estou atingindo a minha família. E é a opinião deles que mais me importa. Foi da minha família que recebi os meus valores. Nada mais justo do que utilizá-los.

   Hoje comentei em um blog e disse que me preocupo tanto com a minha reputação, que ás vezes me privo de certas coisas, deixo de fazer o que quero, mas deixar de ser feliz jamais!

   Como diz o velho ditado “não é bem assim que a banda toca”, e não é mesmo e devemos “tocar de acordo com a banda” (meio paradoxo isso). E quando não tocamos de acordo, vira tudo um desastre.

15 colheram o dia:

Jairo Souza disse...

Não, não não! Ser feliz em 1º lugar! Depois a opinião alheia! Não vou esperar meu pai e minhamãe morrerem pra ser feliz! Pense nisso!

Elaine disse...

Olá!
Acho que já disse isso a você mas vou dizer novamente: te vejo muito madura para tão poucos anos...
Isso é bom, mas cada coisa a seu tempo, tá?
Agora em relação à reputação eu acho que você está certa, uma vez que é igual pureza( e não simplesmente virgindade): uma vez perdida, perdida de vez.Mas não dê tanta importância à opinião dos outros. Até porque nem sempre eles estão certos em suas opiniões. Não é só a gente que erra, sabia? Pai e mãe erram também. E viva a vida, menina!Com prudência, já que ninguém se perde por ser prudente...
Beijos.

Ryan disse...

Há que se ter um bom senso! Um pouco das duas coisas...

Afinal, devemos ter personalidade antes de mais nada!

_Gio_ disse...

A questão não é "não se importar com o que os outros pensam"; ao menos, no meu caso, é não se privar de fazer o que se tem vontade, por causa de pré-conceitos alheios.

Se existe um bom motivo para eu não fazer algo, não farei; se é puro capricho ou ignorância, não vou me privar.

Thiago Laurent. disse...

É, cada um é cada um, não é mesmo? Eu, sinceramente, não me importo com as pessoas e com a opinião delas, mas eu sei respeitar pessoas que dão valor á opiniões...

Ah, eu faço templates sim... qualquer coisa: thss1@hotmail.com

Beijos

Thiago Laurent. disse...

É, cada um é cada um, não é mesmo? Eu, sinceramente, não me importo com as pessoas e com a opinião delas, mas eu sei respeitar pessoas que dão valor á opiniões...

Ah, eu faço templates sim... qualquer coisa: thss1@hotmail.com

Beijos

Alice Freitas disse...

Bom, na minha opinião é claro que a gente não pode sair de casa sabendo que todos vão falar, mas se sentir feliz em 1º lugar é fundamental, amor adorei teu blog :D

Zeus disse...

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para utilizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer. ...

Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo de novo, e quantas vezes foi preciso. Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa”.

Quintana tinha razão doce amiga,o importante é estar feliz consigo mesmo,deixa que os outros falem o que quiserem...
Um beijo no core e seja feliz.

Docefelicidade disse...

lol

amei esse blog tbm...

Luciano de Sálua disse...

Reputação é o marketing, Caráter é o produto.

Izabela disse...

Sim, eu o vi. Parece inacreditável, mas ainda não li o Caçador de Pipas (mas já é um propósito). Estou lendo Amor de Capitu - Fernando Sabino (ele recriou a obra de Machado sem usar o narrador principal, que é Dom Casmurro).

E sobre a postagem, ajo como você em certas ocasiões. Me privo de sair para certos lugares com medo de manchá-la. Enfim, o que devemos é suprir nossa necessidade da maneira que nos cabe. E ser feliz, isso sim.

Um beijo, querida!

Patricia Laura disse...

pra quem pretende fazer jornalismo:
http://meuedredon.blogspot.com/

bjoo

Mαrih ♪ disse...

Marina, vc nao acha meio ruim viver assim?
Temos que nos preocupar com nossa imagem, mas as vezes vale a pena sair um pouco dos padroes da sociedade pra ser feliz, neah?
Texto simples e bonitinho!
Beijos.

Mαrih ♪ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
be disse...

華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,